Excesso De Trabalho Causa Doença? Pode Matar O Trabalhador?

Happy health a todos, hoje deixo a transcrição de um texto que achei no site do consulado geral do Brasil em Boston, e achei importante divulgar boa leitura a todos.

Dr. Eduardo Siqueira
Hoje dedicarei esta coluna a um tema sobre o qual já ouvi bastante comentários e inquietação por parte de padres, pastores, e médicos que lidam com a população brasileira em Massachusetts. Já toquei neste assunto de passagem em outras colunas que escrevi. Agora vamos conversar com mais detalhe sobre o excesso de trabalho e os problemas na saúde do trabalhador que pode causar. Para começar gostaria de lembrar a todos que a jornada de 40 horas semanais foi uma conquista histórica dos trabalhadores americanos e europeus no século 19. Oito trabalhadores imigrantes europeus para os Estados Unidos morreram como mártires em Chicago na luta pela jornada de 8 horas por dia de trabalho, em cuja homenagem se criou o feriado do primeiro de maio, dia mundial do trabalhador. Foram presos e condenados a morte por defender as bandeiras daquele movimento, que eram “oito horas para trabalhar, oito horas para descansar e oito horas para o lazer.” Portanto, há mais de cem anos os trabalhadores europeus e americanos aprenderam que havia que limitar a jornada de trabalho para que o trabalhador pudesse descansar e recuperar as energias gastas com o trabalho pesado que realizavam nas fábricas americanas e européias. Defendiam a diminuição da jornada como forma de preservar a sua saúde e poder ter outra vida diferente da vida na fábrica e no trabalho manual que executavam, sujeitos a poluição do ar, barulho, abusos do patrão, etc.

Agora vamos a Massachusetts, nos Estados Unidos mais de cem  anos depois. Grande parte dos trabalhadores imigrantes brasileiros vêm para Massachusetts pensando em ganhar dinheiro rápido e voltar para o Brasil assim que juntarem uma graninha suficiente para comprar uma casa, abrir um comércio ou negócio na cidade de onde vieram, ou em outra parte do Brasil. Muitos chegam com dívidas acima de dez, quinze mil dólares que têm que pagar a curto prazo. Aqueles que usaram coiote pagaram à vista e muitas vezes pediram dinheiro emprestado a amigos e parentes para vir para os Estados Unidos. Devido a esta pressão causada pela dívida que contraíram para sair do Brasil, querem trabalhar tantas horas quantas seja necessário. Quanto mais, melhor.

Já ouvi inúmeras estórias de trabalhadores que trabalham 16 horas ou mais por dia, quase sem parar para poderem ganhar o suficiente para pagar a dívida e poupar dinheiro para mandar para a família que ficou no Brasil. Muitos trabalham em trabalhos pesados, posicões incômodas, fazendo movimentos repetidos, em entregas dirigindo pra lá e pra cá, sempre com pressa. Está claro para todos nós que a razão pela qual muitos trabalham tanto é porque o trabalho paga pouco por hora e só com muitas horas de trabalho é possível juntar algo. A culpa não é de quem precisa da grana, mas se o trabalhador não  prestar atenção a sua saúde, acaba indo contra o seu próprio interesse ao ficar doente.

O nosso corpo e mente tem limites, conforme se deram conta outros imigrantes para os Estados Unidos, e não foram feitos para serem tratados como se fossemos de ferro. Não existe nenhuma dúvida que necessitamos cerca de oito horas de sono por noite. Além disto, se não tivermos atividades de recreação e lazer, acabamos vivendo como máquinas e infelizmente adoecemos cedo ou tarde. A causa fundamental do adoecimento é o stress excessivo. O stress é no fundamental um desequilíbrio interno temporário ou permanente das regras de funcionamento normal do nosso corpo e mente, que tem um ritmo diário herdado por nós através de dezenas de milhares de anos de existência no planeta Terra. Na verdade o stress foi uma maneira que o nosso organismo encontrou de reagir as ameaças do ambiente externo, seja para enfrentar o leão ou fugir dele. Lutar ou fugir eram as duas opções que sempre tivemos desde os tempos em que os seres humanos viviam nas cavernas como caçadores e coletores.

Quando dormimos, recuperamos as nossas energias vitais através do sono profundo, que é o período do sono em que sonhamos e recarregamos as nossas baterias. Se não dormimos o suficiente, ficamos em estado de cansaço contínuo, que afeta o nosso apetite, a nossa concentração, os nossos reflexos, etc. Todo o nosso metabolismo pode se alterar. Alguns brasileiros me contaram casos em que causaram acidentes de trânsito dirigindo em Massachusetts porque não descansam o suficiente,  vivem com sono, e de vez em quando dormiram no volante.

Se não descontraímos depois de um dia de trabalho e continuamos num ritmo acelerado por semanas e meses, acabamos criando uma desequilíbio interno no nosso corpo que se torna insustentável. Começamos então a apresentar sinais claros de que estamos batendo os pinos: a pressão pode subir, podemos ter desde insônia, aumento dos batimentos do coração, dores no estômago, ranger de dentes, falta de ar, agressividade, depressão, até infarto. O stress causado pelo excesso de trabalho pode atingir um sem número de aparelhos e sistemas como o nervoso, o cardio-respiratório, o gastrointestinal, ou o músculo-esquelético.

Em resumo, o stress pode causar um sem número de doenças dependendo da pessoa. Além disto, ele pode levar a que não consigamos controlar incidentes que normalmente seríamos capazes de reagir a tempo e controlar. Muitas vezes os chamados acidentes do trabalho, como queda de escada e perda de dedos, ocorrem com trabalhadores que estão esgotados, mas continuam trabalhando. A pior situação se dá quando um trabalhador morre por excesso de trabalho e stress. Por exemplo, no Japão se criou a palavra “karoshi,” que literalmente significa morte por excesso de trabalho. Hoje em dia portanto, temos pleno conhecimento de que o excesso de trabalho pode matar o trabalhador. Se não mata diretamente, pode levar um trabalhador a cometer o chamado “erro humano,” que está presente de uma ou outra forma em muitos acidentes do trabalho. Porém reconhecer que o trabalhador pode errar não significa que a culpa do acidente seja do trabalhador, como muitos pensam.

Todo trabalhador deve voltar para casa no final do dia saudável e feliz com seu trabalho. Trabalhar por mais de 10 horas por dia por semanas e meses não faz bem a ninguém. Voce pode até ganhar mais a curto prazo, mas cedo ou tarde pagará caro ao médico, na farmácia, ou terá que ficar um tempo sem trabalhar por causa de lesão ou doença relacionada ao trabalho, muitas das quais temos descrito nesta coluna semanal. Só o esforço coletivo de toda a nossa comunidade em Massachusetts poderá alcançar este objetivo.  Vamos todos trabalhar juntos para melhorar a saúde e segurança do trabalhador brasileiro. Nenhum brasileiro deve adoecer ou morrer no trabalho por excesso de trabalho!!!.

Dr. Eduardo Siqueira
carlos.siqueira@umb.edu

Compartilhar:

Anuncie

Nós criamos seu website profissional!

Mais Posts

viverbemusa

O Humor Improvável Dos Barbixas

Para descontrair nessa vida corrida apresento esse grupo que faz muito sucesso no Youtube entrou para a lista das 100 web séries mais vistas do

Assédio Sexual: O Que Fazer?

Feliz dia das mulheres que afinal e todos os dias (clichê), mas nossas guerreias imigrantes sempre tem um desafio a mais, muitas são assedias por